Santa Marcelina Cultura

MENU

Duo Ricardo Herz e Paulo Braga

No dia 14 de outubro, o violinista Ricardo Herz e o pianista Paulo Braga fazem improvisação livre no auditório da EMESP Tom Jobim.

Ricardo Herz reinventou o violino brasileiro. Sua técnica leva ao instrumento o resfolego da sanfona, o ronco da rabeca e as belas melodias do choro tradicional e moderno. Com a influência de Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Egberto Gismonti, Jacob do Bandolim entre outros, o violinista mistura ritmos brasileiros, africanos e o sentido de improvisação do jazz. Graduado em violino erudito pela USP, sua sólida formação começou aos 6 anos, tendo passado pela escola Fukuda em São Paulo. Estudou na renomada Berklee College of Music, nos Estados Unidos, e no Centre des Musiques Didier Lockwood, escola do violinista francês, uma lenda do violino jazz.

De volta ao Brasil desde 2010, Herz tem participado de muitos projetos e colaborado com músicos e se apresentando como solista com orquestras de todo o país, como Yamandú Costa, Dominguinhos, Nelson Ayres, Proveta, Orquestra Jazz Sinfônica, Orquestra Sinfonica de João Pessoa, Orquestra Municipal de Jundiaí, Grupos de Referência do Projeto Guri, Orquestra Filarmônica de Violas, Orquestra Breusil entre outros. Além dos dois álbuns do Ricardo Herz Trio , Herz gravou diversos CDs em duo: com o vibrafonista Antonio Loureiro, com Samuca do Acordeon, com o pianista, maestro e arranjador Nelson Ayres e com Yamandú Costa. Em 2019, Ricardo lança seu décimo trabalho: Nova Música Brasileira para Cordas, este com a orquestra feminina de cordas cubana Camerata Romeu. Ricardo também tem dedicado parte de seu tempo no ensino e difusão do violino popular , tendo ministrado diversos cursos em festivais e recentemente lançou o primeiro método online de violino popular brasileiro.

Pianista, criador do Departamento de Música Popular do Conservatório da Cidade de Tatuí (SP), professor do departamento de música da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), professor e, atualmente, coordenador pedagógico da EMESP (Escola de Musica do Estado de São Paulo – Tom Jobim). Solista da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo e da Royal Philarmonic Concert Orchestra de Londres apresentou-se com grandes nomes da música como Moacir Santos, Milton Nascimento, Mônica Salmaso,Toninho Ferragutti, entre outros. Foi parceiro em gravações de Léa Freire, Gil Jardim, Vânia Bastos, Tetê Espindola. A convite de Nelson Ayres fez parte da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo.

Começou a tocar com Arrigo Barnabé em 1988 e vinte anos depois gravaram o CD Ao Vivo em Porto (Portugal) – que registra a suite Clara Crocodilo, composta por Arrigo, em uma versão para dois pianos. Com o flautista e saxofonista Mané Silveira e o percussionista Guello, Paulo Braga forma o trio Bonsai, um dos mais importantes grupos de música instrumental brasileira. Integra também o quarteto de música contemporânea QuartaD com Luiz Amato (violino) Luiz Afonso Montanha ( Clarinete) e Raiff Dantas ( Violoncelo). Com Marco Suzano e Andrea Ernest Dias, Paulo forma o Grupo 3 – 63, que lançou recentemente o CD “Trio 3-63” pelo selo Sambatown (2009).

Data: 14/10/2019

Horário: 16:30

Local: Auditório Zequinha de Abreu – EMESP Tom Jobim

Largo General Osório, 147, Luz, São Paulo – SP

Entrada: Franca