Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Violinista Ryu Goto é o convidado da Orquestra Jovem do Estado

02 de outubro de 2015

No dia 10 de outubro, sábado, às 21h, a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo recebe o solista nipo-americano Ryu Goto (violino), na Sala São Paulo. Sob a regência do seu diretor musical e maestro titular Cláudio Cruz, a orquestra inicia o concerto com a Abertura de La Gazza Ladra, do compositor italiano Gioachino Rossini, na sequência outra peça italiana Concerto nº 1 para violino em Ré maior op.6, de Niccolò Paganini e que terá solos de Ryu Goto, e encerra com Concerto para Orquestra, do austro-húngaro Béla Bartók. Os ingressos custam até R$ 30 (inteira).

 

Reconhecido internacionalmente pelo seu trabalho, Ryu tem apenas 27 anos, mora atualmente em Nova York, já solou com muitas das principais orquestras do mundo e tem um grande e crescente público na Ásia, América do Norte e Europa. Em parceria com importantes instituições de música, como o Departamento de Educação de Nova York e a Juilliard School, faz trabalhos filantrópicos com estudantes visando o aperfeiçoamento musical.

 

Para este concerto do dia 10 a Orquestra Jovem do Estado preparou um programa que retrata dois momentos da música na Europa. Traz obras de Gioachino Rossini e Nicolò Paganini – este, considerado o maior violinista de todos os tempos –, conterrâneos em um tempo no qual a música era tida como a grande manifestação artística, sob o olhar do Romantismo, e ainda uma peça de Béla Bartók, que também presenciou as grandes descobertas tecnológicas e a afirmação de uma nova forma de viver das pessoas, expressada pelo Modernismo.

 

A ópera La Gazza Ladra, escrita em dois atos por Rossini, conta a história de Ninetta, condenada à morte por furtar uma colher de prata. Um pouco antes de ser morta descobre-se que, na verdade, uma pega (um pássaro) havia roubado o utensílio, e tudo termina bem. Em Concerto para violino no 1, Paganini emprega a scordatura, técnica na qual se afinam as cordas do violino de forma diferente da original. Neste caso, a afinação que se obtém no violino facilita a execução virtuosística do intérprete. Por último, Concerto para orquestra, de Bartók, foi composto após imigrar para os Estados Unidos, fugindo do terror da Segunda Guerra Mundial. Esta obra foi responsável por torná-lo reconhecido na América e sua orquestração espetacular está expressa nos cinco movimentos da obra.

 

Este concerto integra a temporada 2015 da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo e é fruto de uma parceria da Santa Marcelina Cultura com a Fundação Japão, marcando, assim, as comemorações dos 120 anos da assinatura do Tratado de Amizade, de Comércio e de Navegação entre Japão e Brasil.

 

Em setembro, a Orquestra Jovem do Estado recebeu o violoncelista Antonio Meneses em um concerto muito especial na Sala São Paulo. Além de marcar a comemoração dos 20 anos da Revista CONCERTO, que é considerada a principal publicação especializada em música clássica do país, serviu também para o primeiro registro em CD do grupo. No repertório, a orquestra executou Guerra-Peixe, Villa-Lobos e Shostakovich.

 

De 2012 para cá a Orquestra Jovem do Estado realizou quatro turnês internacionais. Esteve na Alemanha por dois anos consecutivos, França, Holanda e Estados Unidos. Em março deste ano, sob a batuta de Cláudio Cruz, a Orquestra Jovem esteve em Washington e tocou no Kennedy Center, e também em Nova York, onde foi recebida pela Juilliard School – escola nova-iorquina que está entre os três principais conservatórios de música do mundo – e se apresentou na prestigiada Alice Tully Hall. Os concertos foram um sucesso de público e da crítica especializada. A performance no Lincoln Center, inclusive, foi destaque no jornal The New York Times. A turnê internacional contou com o patrocínio do Bank of America Merrill Lynch, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, e apoio do Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo. A Orquestra Jovem também tem como patrocinadores o Banco Itaú e o escritório de advocacia Machado Meyer, Sendacz e Opice Advogados, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura.

 

Programa:

Gioachino Rossini – Abertura da ópera La Gazza Ladra

Niccolò PaganiniConcerto nº 1 para violino em Ré maior op.6

[intervalo]

Béla BartókConcerto para Orquestra

 

Serviço:

Sala São Paulo

Data: 10 de outubro, sábado

Horário: 21h

Local: Sala São Paulo

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16, Luz, São Paulo-SP

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) – assinantes da Revista CONCERTO têm desconto no ingresso.