Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Jornada de Formação reúne equipes de polos do Guri no Theatro São Pedro

06 de fevereiro de 2018

Como acontece todo ano, as equipes de todos os 46 polos do Guri Santa Marcelina se reuniram para a Jornada de Formação Sociopedagógica de 2018. Realizado no Theatro São Pedro, o encontro proporciona aos monitores de polo, agentes de apoio, assistentes sociais e professores de música um diálogo direto com os departamentos social e pedagógico do Guri, além de uma imersão em questões imediatas do programa, como políticas sociais e o cenário atual da educação no Brasil.

As atividades deste ano aconteceram nos dias 29, 30 e 31 de janeiro, das 8h30 às 17h. No primeiro dia, a irmã Rosane Ghedin, diretora-presidente da Santa Marcelina Cultura, Organização Social responsável pela gestão do Guri Santa Marcelina, fez uma fala de abertura, seguida por uma palestra do professor e pesquisador Jessé de Souza intitulada A Situação Atual das Políticas Sociais. Depois do almoço foi a vez da professora Yara Caznók. Figura carimbada das jornadas de formação do Guri, Yara Caznók é referência em educação musical no país e parceira histórica do Guri. Ela está presente desde o início do programa, participando inclusive da jornada de formação de 2009, quando fez uma palestra chamada Por uma Educação Musical de Qualidade no Guri Santa Marcelina. Em 2018, ela aproveitou seu conhecimento e experiência para fazer um panorama do trabalho realizado pelo programa nesses tempos, na palestra Guri Santa Marcelina: 10 Anos Depois. Na conversa, ela lembrou do começo do Guri, ressaltou os avanços realizados nesses anos mas também chamou atenção para os desafios presentes. Depois da palestra houve um debate com microfone aberto para todos colaboradores do Guri, com mediação de Giuliana Frozoni, gestora do Guri, Marta Bruno, coordenadora da área social, e Ricardo Appezzato, coordenador artístico da Santa Marcelina Cultura.

Na terça-feira, dia 30, a programação contou com a exibição do documentário argentino “Mundo Alas”, de León Gieco, sobre uma turnê realizada com músicos com diferentes deficiências. Depois do almoço foi a vez da historiadora e ativista Suzane Jardim falar sobre assédio.

A pedagoga Carla Mauch iniciou as atividades do último dia com uma palestra chamada Panorama Atual da Educação Inclusiva no Brasil. À tarde, Claudio Shimoyama, da Data Press, apresentou a pesquisa de satisfação de 2017 do Guri Santa Marcelina. Realizada com pais e alunos dos cursos de iniciação musical e sequencial, a pesquisa aponta o caminho do programa, ressaltando seus acertos e identificando as melhorias necessárias. Mais uma vez o Guri foi muito bem avaliado, com 99% de aprovação – em breve uma versão resumida da pesquisa será publicada no site do Guri.

Após a pesquisa, foi realizado um encontro com as equipes. À luz das discussões realizadas durante a jornada, as equipes dos polos se reuniram para trocar experiências e tentar encontrar, coletivamente, a melhor forma de abordar os desafios cotidianos de cada polo.