Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Em 2012, Guri amplia visibilidade em países estrangeiros

21 de dezembro de 2012

Professores, gestores e representantes de instituições de cinco nacionalidades vieram ao Brasil para compartilhar experiências na área da música e da inclusão sociocultural

Um dos focos da Santa Marcelina Cultura no ano que acaba foi a internacionalização das parcerias, tendo em vista a troca de conhecimentos musicais numa rede de países de realidades distintas. Esse plano teve impactos diretos na rotina de estudos dos guris, que tiveram a oportunidade de entrar em contato com métodos variados e, em dois casos específicos, viajar ao exterior para intercâmbios culturais.

No total, foram cinco países que desenvolveram atividades conjuntas com a organização gestora do Guri: Estados Unidos (The Juilliard School); Inglaterra (The Sage Gateshead); França (Conservatório de Paris); Hungria (Conservatório de Litz); e Holanda (Conservatório de Amsterdã).

Um dos beneficiados por essas ações foi o garoto Davi Ciriaco, 18, que encerrou o ciclo no Guri esse ano para continuar estudando música (contrabaixo) na EMESP. Acompanhado por representantes da Santa Marcelina Cultura, foi a Nova Iorque para estudar durante uma semana na Juilliard School. “Foi um sonho”, revela. O colega de intercâmbio, Luis Vitor, 14, conta que espera “poder voltar um dia” a um dos conservatórios mais prestigiados no mundo da música.     

Para o diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura Paulo Zuben, “existe uma transformação cultural nesse relacionamento com músicos de outros países”. Ele frisa a importância de se utilizar a metodologia e a visão artística da Juilliard School como referência nos projetos artístico-pedagógicos do Guri.

Ao longo de três anos de parceria, foram desenvolvidos 13 projetos de curta e média duração, alcançando 15.000 alunos e 50 professores. Os projetos de cooperação continuarão no próximo ano, contando com o apoio do Consulado Geral dos EUA em São Paulo e do Consulado do Brasil em Nova Iorque.

Do outro lado do Oceano Atlântico, o The Sage Gateshead, reconhecido conservatório da Inglaterra, trouxe ao Guri um pouco da especialidade desenvolvida ao longo dos anos, que é o canto coral. Graças a essa parceria, tomou corpo o 1º Encontro de Corais da Santa Marcelina Cultura, que reuniu estudantes da EMESP e do Guri, além de pais desses jovens. O intuito era fortalecer, por meio da música, os laços de comunidade.

De acordo com a diretora do núcleo de Formação e Participação da organização britânica, Katherine Zazerson, trata-se do começo de uma “aventura”. De fato, o projeto prevê ações coordenadas durante os próximos três anos, numa linha de atuação da Santa Marcelina Cultura que preza por relacionamentos de médio a longo prazo.

A ponte de ligação e o estreitamento de laços com o The Sage Gateshead tem sido o Consulado Britânico, por meio do qual foi possível a ida de cinco alunos do Coral Infanto-Juvenil do Guri a Londres para integrar um grupo de canto com jovens de diferentes partes do mundo. Denominado Youth Music Voices, o projeto tem um caráter social de fortalecimento da autonomia dos jovens e teve como produto final este ano uma apresentação durante as Olimpíadas Culturais de Londres, evento paralelo aos jogos olímpicos.

Alessandra de Cássia de Araújo, 18, Beatriz de Godoi Lima, 18, Jaqueline Peixinho Dias, 16, Murilo Pocci Silva, 16, e Oziel Soares da Silva, 20, relatam que depois da experiência os horizontes de conhecimento se expandiram.

Durante o ano, professores e representantes do Conservatório de Paris, do Conservatório de Litz e do Conservatório de Amsterdã. De uma maneira geral, todos ficaram bastante impressionados com a amplitude e o alcance que o Programa Guri possui.

De acordo com o Coordenador de Relacionamento Institucional, o que se pretende com esse programa de parcerias “é a busca constante pela inovação e a expansão de novos horizontes, impactando necessariamente no aumento de qualidade do ensino musical e da inclusão social dos beneficiários do Guri”.