Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Orquestra Jovem do Estado recebe três solistas e mais de 250 vozes para apresentar a famosa cantata Carmina Burana e encerrar sua ótima temporada

16 de dezembro de 2015

 No dia 19 de dezembro (sábado), às 21h, a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo fecha sua ótima temporada com um espetáculo grandioso na Sala São Paulo. Sob a batuta do seu diretor musical e maestro titular Cláudio Cruz, o grupo recebe a soprano Marília Vargas, o tenor Jabez Lima e o barítono Erick Souza, para se juntar às mais de 250 vozes com idades a partir de 8 anos e que integram seis coros: o Coral Jovem do Estado, o Coral Juvenil EMESP, o Coro Adulto EMESP, o Coral Infantil do Guri, o Coral Juvenil do Guri e o Coral de Familiares do Guri. Neste dia também será feito o anúncio dos vencedores do Prêmio Ernani de Almeida Machado. O ingresso custa até R$ 30 (inteira). 

Com repertório de uma única peça, a Orquestra Jovem do Estado apresenta o sucesso de Carl Orff Carmina Burana. Baseada em uma coleção de poemas medievais, a obra foi escrita em 1936 e desde então é tida como um dos grandes hits da música clássica, sendo utilizada em trilhas sonoras de filmes e adaptações pops. No domingo (20), às 11h, o grupo ligado à EMESP Tom Jobim – Escola do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura do Estado, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura – repete o programa. A entrada é franca.

A iniciativa de reunir alunos de iniciação musical com jovens que já integram uma orquestra e estão a caminho da profissionalização, visa apresentar ao público a integração entre as ações pedagógicas do Guri e EMESP Tom Jobim – instituições que atendem, juntas, quase 15 mil jovens – e a qualidade do resultado quanto ao desenvolvimento musical dos alunos. Para isso, é necessário um intenso trabalho de ensaios e preparação vocal. A ideia deu tão certo que pelo segundo ano consecutivo a Orquestra Jovem do Estado encerra sua temporada junto a centenas de vozes, em sua maioria formada por crianças e adolescentes. Ano passado, o repertório escolhido foi Abertura 1812, de Tchaikovski, para uma Sala São Paulo lotada.

Antes do concerto do dia 19, haverá a cerimônia de entrega do Prêmio Ernani de Almeida Machado, que chega à sua quarta edição e destina um total de R$ 120 mil aos cinco bolsistas de destaque da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo. Com patrocínio do escritório Machado Meyer Advogados, os prêmios oferecidos têm a finalidade de viabilizar, exclusivamente, bolsas de ensino no exterior que visem o aprimoramento profissional, ou a aquisição de instrumentos. 

Para o diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura, Paulo Zuben, esse patrocínio tem como grande diferencial o investimento na formação de futuros talentos da música clássica brasileira. “É muito gratificante poder contar com um parceiro como o Machado Meyer, que abre os horizontes para esses jovens músicos e aproxima-os de um universo que parecia distante, que é o complemento dos estudos em uma instituição de ensino importante no exterior”, destaca.

Segundo Celso Costa, sócio-administrador do Machado Meyer Advogados, o escritório tem como um dos seus objetivos, o desenvolvimento profissional de jovens, e não apenas na área de Direito. “Para nós é muito gratificante participar da formação desses jovens músicos, que com todo seu talento acrescentam muito para a cultura do nosso país”, disse.  O nome do prêmio é uma homenagem a um dos sócios-fundadores do Machado Meyer, Ernani de Almeida Machado, morto em 2009, e grande apreciador da música clássica.

 

Prêmio Ernani de Almeida Machado
Até aqui foram contemplados 15 bolsistas nas três edições anteriores do prêmio e desses, quatro estão estudando, atualmente, nas principais universidades de música da Europa, como os conservatórios de Amsterdã (Holanda), Paris (França) e o Mozarteum de Salzburgo (Áustria), instituições que estão entre os melhores centros de formação musical do mundo, seja para o bacharelado, mestrado ou doutorado.

O Prêmio Ernani de Almeida Machado oferece como gratificação principal, uma bolsa de R$ 60 mil – a maior concedida até hoje a uma orquestra jovem no Brasil – e o contemplado deverá utilizar o valor para o aperfeiçoamento musical em uma instituição de ensino no exterior. Também são concedidas mais quatro premiações no valor de R$ 15 mil cada. Todos os 90 integrantes da Orquestra Jovem com idade entre 13 e 26 anos podem concorrer, mediante inscrição.

Para participar, os bolsistas da Orquestra Jovem puderam se inscrever gratuitamente entre os dias 28 de setembro e 30 de outubro. A seleção ocorre em duas fases: na primeira, o candidato grava um vídeo executando uma peça de livre escolha, sem edição e com duração de até 15 minutos para postagem na internet. Uma banca formada por professores de música selecionou para a última fase 15 finalistas e a lista dos aprovados foi divulgada no site da escola www.emesp.org.br.

A prova final foi uma audição presencial realizada no dia 7 de dezembro, na sede da EMESP. Os bolsistas se apresentaram para uma banca examinadora composta pelos músicos da Osesp Ana Valéria Poles (contrabaixo), Eduardo Gianesella (percussão) e Rogério Zaghi (coordenador dos programas educacionais). Já da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo participou Paola Baron (harpa), e do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo estava Roberto Suetholz (violoncelo). A comissão de especialistas também contou com Eduardo Monteiro (piano), da USP, o compositor Flo Menezes, da Unesp, Elisa Fukuda (violino) e Cláudio Cruz (regente titular e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado). O diretor-editor da Revista CONCERTO Nelson Rubens Kunze e o jornalista Irineu Franco Perpetuo (revista CONCERTO) fecham a lista.

O patrocínio do escritório Machado Meyer Advogados ao Prêmio Ernani de Almeida Machado é resultado de uma parceria firmada em 2012 com a Santa Marcelina Cultura – organização social responsável pela administração da EMESP Tom Jobim. Há três anos, o patrocinador também realizou um aporte muito significativo para a compra de instrumentos de percussão de primeira linha para o grupo da EMESP Tom Jobim. Foram adquiridos pratos, marimbas, pandeiros sinfônicos, tontons e tímpanos, que foram fundamentais para a melhoria da sonoridade da orquestra.

 

Programa:

Carl OrffCarmina Burana

Fortuna Imperatrix Mundi

1. O Fortuna

2. Fortune plango vulnera

I. Primo vere

3. Veris leta facies

4. Omnia sol temperat

5. Ecce gratum

    Uf dem anger

6. Tanz

7. Floret silva nobilis

8. Chramer, gip die varwe mir

9. Reie

10. Were diu werlt alle min

II. In Taberna (In the Tavern)

11. Estuans interius

12. Olim lacus colueram

13. Ego sum abbas

14. In taberna quando sumus

III. Cour damours

15. Amor volat undique

16. Dies, nox et omnia

17. Stetit puella

18. Circa mea pectora

19. Si puer cum puellula

20. Veni, veni, venias

21. In truitina

22. Tempus est iocundum

23. Dulcissime

     Blanziflor et Helena

24. Ave formosissima

     Fortuna Imperatrix Mundi

25. O Fortuna

 

Serviço:

Data: 19 de dezembro, sábado

Horário: 21h

Local: Sala São Paulo

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16, Luz, São Paulo-SP

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Mais informações: (11) 4003-1212 – www.ingressorapido.com.br

Duração: 90 minutos (aproximadamente)

Classificação indicativa: Livre

Capacidade: 1.484 lugares

Acessibilidade: Sim

 

Data: 20 de dezembro, domingo – série Concertos Matinais da Sala São Paulo

Horário: 11h

Local: Sala São Paulo

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16, Luz, São Paulo-SP

Entrada gratuita – ingressos disponíveis na bilheteria do 1º subsolo da Sala São Paulo a partir da segunda-feira anterior ao concerto, limitados a quatro por pessoa.

 

Cláudio Cruz (regente titular e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado)

Iniciou-se na música com seu pai, João Cruz, posteriormente recebeu orientações de Erich Lehninger, Maria Vischnia e George Olivier Toni. Foi premiado pela APCA, Prêmio Carlos Gomes, Prêmio Bravo e Grammy Awards. Tem atuado como regente convidado na Orquestra Sinfônica Brasileira, Sinfônica Municipal de São Paulo, Sinfônica de Porto Alegre, Sinfônica de Brasília, Osesp, Orquestra de Câmara de Osaka, Orquestra de Câmara de Toulouse, Orquestra Sinfônica de Avignon, entre outras. Foi regente da Orquestra do Festival Internacional de Campos do Jordão em 2010 e 2011. Participou dos festivais da Carinthia (Áustria) e de Cartagena, onde atuou como camerista e regente convidado da Osesp. Foi diretor musical da Orquestra de Câmara Villa-lobos, regente titular das Sinfônicas de Ribeirão Preto e de Campinas e por vinte anos foi o spalla da Osesp. Atualmente, é o regente titular e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado onde está há dois anos.

 

Orquestra Jovem do Estado de São Paulo

Fundada em 1979, a Orquestra Jovem do Estado tem como principal objetivo contribuir para o aprimoramento técnico e artístico dos estudantes de música que a integram, ajudando-os a se preparar para a vida profissional. Teve como regentes titulares o maestro John Neschling, Diogo Pacheco, Bernardo Fedorowsky, Juan Serrano e João Maurício Galindo. Em 2012, integrada ao inovador projeto pedagógico da EMESP Tom Jobim, a Orquestra passou por uma total reformulação para transformá-la num projeto de excelência em formação de jovens músicos, estimulando-os a aprofundar e intensificar seus estudos e evitando a profissionalização precoce. Cláudio Cruz passa a ser o diretor musical e regente titular. Pelo novo projeto, as atividades dos 90 bolsistas incluem aulas e master classes com renomados professores e uma intensa agenda de ensaios e concertos. De 2012 pra cá realizou três turnês internacionais, sendo que por dois anos consecutivos esteve na Alemanha e participou dosfestivais MDR Musiksommer, na região da Saxônia, e do Young Euro Classic, em Berlim, onde tocou na histórica sala Konzerthaus.Ano passado esteve em Amsterdã, na Holanda, e se apresentou na moderna sala Muziekgebouw e na França, encantou o público do Festival Berlioz, realizado em La Côte Saint-André, cidade que fica na região de Lyon e terra natal do compositor Hector Berlioz.Recentemente, a Orquestra Jovem do Estado ganhou o Prêmio CONCERTO 2014 na categoria Jovem Talento, uma iniciativa da Revista CONCERTO – principal publicação especializada em música clássica no país.