Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Coordenador do Núcleo de Música Antiga participa de atividades no Conservatório de Bruxelas

23 de abril de 2015

O professor de violino barroco e coordenador do Núcleo de Música Antiga da EMESP Tom Jobim, Luis Otavio Santos, foi convidado para coordenar projeto, durantes os meses de fevereiro e março, no departamento de música antiga do Conservatório de Bruxelas. A atividade que envolveu a formação de uma Orquestra marcou o retorno do músico à instituição de ensino belga, onde lecionou por oito anos.

 

O convite para retornar ao país partiu dos colegas belgas que trabalharam com ele no conservatório entre os anos 1997 e 2005. “Como lecionei lá, me senti em casa. Eu vivi uma parte da minha vida no Conservatório de Bruxelas, então, foi maravilhoso. Depois que voltei ao Brasil, em 2005, só retorno para a Europa para me apresentar”, conta.

Durante o período de 20 de fevereiro a 1º de março, Luis Otavio ministrou master classes de violino barroco para os alunos, coordenou a formação de uma orquestra e foi o regente do concerto de encerramento do projeto. “Eu diria que foi um paralelo ao nosso Encontro de Música Antiga da EMESP. Assim como fazemos aqui, envolvemos o maior número de alunos que foi possível e formamos uma orquestra, com instrumentos de cordas, sopros e cravo. Todo o departamento estava presente e fizemos um programa dedicado ao compositor Vivaldi”, diz.

Luis Otavio destaca o desenvolvimento dá área de Música Antiga no Brasil. “O que eu fazia em Bruxelas, já está acontecendo no Brasil. Fiquei muito contente com o resultado do trabalho que desenvolvemos aqui. Não é melhor nem pior do que lá. É muito gratificante ver que isso também acontece no Brasil, ou melhor, na EMESP. Estou muito feliz em sentir que uma parte de minha vida iniciada em Bruxelas continua aqui”, revela.

“A única diferença é que na EMESP existe o envolvimento de todos os professores no Encontro de Música Antiga. Todos tocam com os alunos. É uma coisa única nossa e exclusiva da EMESP. São poucos os professores que têm essa disponibilidade de estar ali em todos os ensaios. Para mim, ao logo dos anos, vejo que essa é umas das melhores lições para os alunos. O desprendimento do professor que sai do pedestal para participar e tocar com seu aluno”, completa.

Clique aqui para acompanhar o currículo de Luis Otavio Santos.

 

por Marcus Vinicius Magalhães