Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Camerata Aberta recebe o regente espanhol Ernest Martínez Izquierdo no Sesc Consolação

08 de setembro de 2014

 A Camerata Aberta – principal grupo de música erudita contemporânea em atividade no país – se apresenta no dia 16 de setembro (terça-feira), às 21h, no Sesc Consolação, sob a regência do maestro convidado Ernest Martínez Izquierdo, regente honorário da Sinfônica de Navarra e fundador do Ensemble Barcelona 216.

Com direção artística de Sergio Kafejian, o grupo formado por alguns dos melhores músicos atuantes da cena erudita brasileira e que são professores da EMESP Tom Jobim, interpreta obras da finlandesa Kaija Saariaho – considerada um dos nomes mais importantes da composição contemporânea –, do seu compatriota Magnus Lindberg e do argentino Martin Matalon. Os ingressos custam até R$ 10 (inteira).

Duas peças do programa serão executadas pela primeira vez no Brasil: Notes on Light, uma obra para violoncelo e ensemble da compositora Saariaho, e Souvenir, que apresenta diferentes dramaturgias e foi escrita por Lindberg sob encomenda da Filarmônica de Nova York, onde foi compositor residente durante quatro anos. O programa também traz Trame VIII, do argentino Matalon.

Notes on Light foi escrita por Kaija Saariaho em 2006 sob encomenda da Orquestra Sinfônica de Boston, em comemoração ao aniversário de 125 anos do grupo. No concerto do próximo dia 16 a solista convidada é a romena Diana Ligeti (violoncelo) – que atualmente é professora do Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris e da American Art em Fontainebleau.

Artista multimídia, Kaija começou a compor na década de 1980 e a partir dos anos 1990 sua música se torna mais expressiva. É autora de diversas peças para concerto, ópera e conjunto de câmara, o que lhe rendeu alguns prêmios importantes.

Para o diretor artístico da Camerata Aberta Sergio Kafejian, Kaija é uma das compositoras mais importantes da atualidade e destaca sua pluralidade artística. “Suas obras estão ligadas às instalações sonoras, aos concertos visuais, óperas e à música eletroacústica. Suas pesquisas com o timbre, aliadas a um senso de plasticidade formal, fazem com que sua música esteja entre as principais contribuições da produção contemporânea à arte musical".

A Camerata Aberta é um grupo especializado na interpretação, divulgação e ensino da música dos séculos XX e XXI. Só neste ano o grupo tocou sob a regência dos franceses Bruno Mantovani, diretor do Conservatório de Paris, Guillaume Bourgogne, que é integrante do conselho artístico da Camerata, e do brasileiro Celso Antunes. Também recebeu o saxofonista francês Vincent David, a soprano paulista Natália Áurea e em dezembro embarca para os Estados Unidos, onde se apresenta no Americas Society, em Nova Iorque, no dia 11, pela série Music of the Americas.

Programa:

Kaija Saariaho – Notes on Light
[Intervalo]
Martin Matalon – Trame VIII
Magnus Lindberg – Souvenir
 
Serviço:
Camerata Aberta sob a regência do espanhol Ernest Martínez Izquierdo
Data: 16 de setembro, terça-feira
Horário: 21h
Local: Sesc Consolação – Teatro
Endereço: Rua Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque, São Paulo-SP
Ingressos: R$ 10 (inteira), R$ 5 (usuário inscrito no Sesc) e R$ 2 (comerciário inscrito no Sesc)
Mais informações: (11) 3234-3000
 
 
Ernest Martínez Izquierdo – regente convidado
Nascido em Barcelona (Espanha), Izquierdo é atualmente o regente honorário da Orquestra Sinfônica de Navarra Pamplona e principal regente convidado do Ensemble Barcelona 216, grupo especializado em música contemporânea fundado por ele em 1985. Foi diretor artístico das orquestras  Sinfônica de Navarra Pamplona e Sinfônica de Barcelona, e regeu as principais orquestras e grupos de câmara espanhóis. Além disso, trabalhou com as orquestras Sinfônica de Quioto, Sinfônica da Rádio Finlandesa, Filarmônica de Helsinki, Nacional de Lyon, Sinfônica do Porto, Sinfônica Municipal de São Paulo, entre muitas outras. Regeu os ensembles Contemporâneo de Montreal, Modern de Frankfurt, Klangforum e Avanti!.
 
 
Diana Ligeti – violoncelo
Após estudar música na Romênia, Ligeti cursou pós-graduação no Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris. Logo chamou atenção de Lord Yehudi Menuhin e foi estudar na Academia Internacional de Música em Gstaad (Suíça). Concluiu mestrado em musicologia na Universidade Sorbonne (França), foi finalista no concurso de violoncelo de Munique e venceu o Douai. Ligeti é fundadora do Trio de Cordas Ligeti, vencedor do Concurso Internacional de Música de Câmara de Osaka (Japão). Desde então, se apresenta como solista e camerista ao redor do mundo. Gravou discos pelos selos Arion, Leman Classics, Japan Chamber Music Foundation, Warner, entre outros.
 
 
Heri Brandino – marimba
É bacharel pela UNESP e mestre pela UFMG, além de ter sido aluno especial no curso de mestrado da McGill University, Canadá. Desenvolve intenso trabalho entre a percussão e a música contemporânea, dentre eles estão a gravação dos CDs A música de Gilberto Mendes e Baqte Ensemble, ambos indicados ao prêmio Bravo!, a participação no Ensemble Música Nova, no Festival Música de Agora, nos Encontros Internacionais de Percussão da EMESP/UNESP e de Tatuí. Já se apresentou em várias partes do Brasil, assim como em Amsterdã, Bruxelas, Montreal e diversas cidades da Suíça. Atualmente é percussionista da Camerata Aberta, co-diretor do Grupo PIAP e professor de percussão da EMESP, da Faculdade Cantareira e da UNESP.
 
 
Camerata Aberta
A Camerata Aberta é um grupo contemporâneo formado por professores da Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP Tom Jobim), instituição do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Cultura, sob gestão da organização social Santa Marcelina Cultura, dedicado ao repertório musical dos séculos XX e XXI. Fundado em 2010 e desde 2011 com direção artística do compositor Sergio Kafejian, o grupo tem entre seus integrantes alguns dos principais músicos atuantes na cena erudita brasileira e exerce intensa atividade pedagógica, voltada para a formação de público e de jovens músicos. A Camerata Aberta inicia seu quinto ano de atividades se consolidando como um dos principais ensembles de música contemporânea no país. Já realizou 47 concertos, entre eles 8 interestaduais e 8 internacionais. Fora do Brasil, o grupo já tocou em salas como Americas Society (em Nova Iorque, EUA), Palais des Beaux Arts (Bruxelas, Bélgica) e Concertgebouw (Amsterdã, Holanda), como parte de eventos como SONiC Festival, Europalia International Arts Festival e Festival de Música Clássica Brasileira no Ano Brasil Portugal (Lisboa, Coimbra e Porto, Portugal). O reconhecimento pelo trabalho da Camerata Aberta mostrou-se já no ano de fundação do grupo: em 2010, o ensemble venceu o prêmio APCA como melhor grupo de câmara. Em 2011, foi convidado a gravar pelo Selo Sesc seu primeiro CD, intitulado Espelho d’Água. No ano seguinte, o disco recebeu o 8º Prêmio Bravo, na categoria Melhor CD de Música Erudita. Até aqui o grupo já recebeu diversos convidados internacionais como os regentes Guillaume Bourgogne, Joel Sachs e Felix Krieger, a soprano Sylvie Robert e o saxofonista Claude Delangle e convidados nacionais como os regentes Lutero Rodrigues, Ricardo Bologna e Alex Klein e o tenor Tiago Pinheiro.