Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Vozes do futuro

18 de julho de 2011

O Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão possibilitou um dos mais belos encontros musicais na tarde de 10 de julho. E não foi de professores ou músicos internacionais, que frequentam as salas de aula e de concertos da cidade. Foram dois grupos que trabalham a formação musical e são ligados à Santa Marcelina Cultura: o Coral Jovem do Estado, de alunos da EMESP Tom Jobim, e o Coral Infanto-Juvenil do programa Guri da Grande São Paulo. Nos repertórios estavam obras como madrigais, cânones, músicas barroca, clássica e contemporânea.

Quem primeiro subiu ao altar da igreja foi o Coral Jovem do Estado, regido por Naomi Munakata. O grupo, com 32 anos de experiência, é o principal coro profissionalizante do Estado e conta com jovens músicos estudantes que iniciam uma carreira profissional. Trouxe, por cerca de uma hora, um repertório com obras de compositores latino-americanos como o mexicano Leonardo Velásquez, o argentino Carlos Gustavino e o chileno Miguel Letelier e clássicos, como Abendlied zu Gott  (Canto Vespertino a Deus) de Joseph Haydn, contrastando o repertório trabalhado no primeiro semestre com aquele que será levado durante o segundo semestre pelo grupo.

Em seguida, o Coral Infanto-Juvenil do Guri, que tem uma história de apenas dois anos de existência, fez sua estreia na temporada 2011, com o regente convidado o professor da Unesp Vitor Gabriel. Com jovens entre 11 e 18 anos, o grupo ensaiou exaustivamente nas últimas semanas para enfrentar o desafio de se apresentar ao lado Coral Jovem do Estado. E agradou bastante o público que lotou a Igreja Matriz Santa Terezinha, em Campos do Jordão, apresentando clássicos do canto coral como a sacra Laudate Deum, de Henry Purcell e a canção Lange gardien, de César Franck. Antes de cada obra, um dos jovens do Coral recitava, em português, os poemas das canções, num exercício de fazer o público entender o significado de cada uma das obras.

Para Vitor Gabriel, foi fundamental para os adolescentes conhecer de perto como atua um grupo mais experiente como o Coral Jovem do Estado. "Pode ser o caminho para muitos desses jovens que estão no Guri", afirma o regente.  Naomi Munakata destaca a importância da existência de muitos corais jovens, juvenis e até infantis, pois segundo ela ainda existe "um terreno imenso para o desenvolvimento do canto coral no Estado de São Paulo", comenta.

O público acompanhou atento quase duas horas de música coral. "É um prazer para a alma poder ouvir cações tão bonitas, que elevam o espírito, em uma igreja tão bela", contou Maria das Graças, mãe de Marina Costa Santana, aluna do Guri na Zona Leste de São Paulo. Ela estava acompanhada de três filhos além de outros oito amigos de Marina. Todos vieram em um ônibus fretado pelas famílias dos alunos do Guri para acompanhar o concerto e conhecer Campos do Jordão.