Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Orquestra Jovem Tom Jobim interpreta clássicos da música brasileira com convidados especiais em duas apresentações no Auditório Ibirapuera ? Oscar Niemeyer

30 de agosto de 2016

Nos dias 3 e 4 de setembro, a Orquestra Jovem Tom Jobim apresenta dois concertos com repertórios diferentes no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Sob a regência de maestros convidados, ambos integrantes do conselho artístico da orquestra, o grupo fará uma releitura com arranjos elaborados por grandes compositores brasileiros e especialmente para essas apresentações. Os concertos têm apoio da MetLife, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura. 

No sábado, às 21h00, sob o comando de Nelson Ayres, a orquestra formada por 42 bolsistas fixos, alunos da Emesp Tom Jobim, traz um dos ritmos mais tradicionais da música brasileira. Ao lado do clarinetista Alexandre Ribeiro, o grupo interpreta grandes clássicos de Paulinho da Viola (Choro Negro), Pixinguinha (Um A Zero), Jacob do Bandolim (Noites Cariocas) e Moacir Santos (Coisa Nº 10) no concerto Tom Jobim Visita o Choro – Ontem e Hoje. Participam também mais dez músicos convidados, entre violino, clarinete, flauta e trombone. Nomes importantes como Sivuca, Nailor Proveta, Cyro Pereira, Tiago Costa e o próprio maestro Nelson Ayres assinam os arranjos. 

Com o regente Tiago Costa, a Orquestra Jovem Tom Jobim retorna ao palco do Auditório Ibirapuera no domingo, às 19h00, para uma homenagem a Milton Nascimento, Lô Borges e ao grupo que marcou a cena da música brasileira e até hoje é referência para os artistas. No concerto Tom Jobim Visita Clube da Esquina, a cantora paraense Leila Pinheiro e o saxofonista Cássio Ferreira se juntam à orquestra para um repertório de sucessos, como Cravo e Canela, Saídas e Bandeiras nº 1, Canção Amiga e Tudo o Que Você Podia Ser. Os arranjos são de Fernando Corrêa, Felipe Senna, Nelson Ayres, Ruriá Duprat e Luca Raele. 

Para fechar a temporada em grande estilo, em outubro o grupo ligado à Emesp Tom Jobim – escola de música do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura do Estado, gerida pela Santa Marcelina Cultura – mescla a música popular brasileira e o jazz americano em ‘Encontro Moacir Santos & Duke Ellington’. O repertório relembra a brilhante trajetória de Moacir e suas andanças pelo interior do Nordeste brasileiro, passando pelo Rio de Janeiro até a sua consolidação nos Estados Unidos. Serão duas apresentações com a participação de músicos do Departamento de Jazz da Juilliard School, renomada escola de Nova York (EUA). 

Confira o vídeo do concerto que abriu o ano de 2016: https://youtu.be/I98PAJ0tsDo

 

Serviço:
Tom Jobim Visita o Choro – Ontem e Hoje
Data: 3 de setembro, sábado
Horário: 21h00
Local: Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer
Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral, S/N – Portão 3 – Ibirapuera
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Duração: 90 minutos (aproximadamente)
Classificação indicativa: Livre
Capacidade: 800 lugares
Acessibilidade: Sim, inclui assentos para cadeirantes e obesos

 

Repertório
Pot-Pourri O Fino do Choro (Arr. Cyro Pereira e Adapt. Fábio Prado)
Ângelo Ursini Festa Da Lia (Arr. Ângelo Ursini)
Patápio Silva Salve, Patápio Silva (Arr. Edmundo Villani-Cortês)
Luciana Campanha Pozatto e Gabriel Oliveura Potel, flautas
Antonio Carlos Jobim Falando de Amor (Arr. Mateus Freire)
Thiago Brisolla e Leonardo Anicelo, violinos
Raul De Barros Na Glória (Arr. Nelson Ayres)
Valber de Oliveira Santos, Welbert Miranda Dias e Rafael da Silva Oliveira, trombones
Jacob Do Bandolim Noites Cariocas (Arr. Tiago Costa)
Paulinho Da Viola Choro Negro (Arr. Nelson Ayres)
André Fajersztajn de Almeida e Luis Gustavo de Barros Ananias, clarinetes
Moacir Santos Coisa Nº 10 (Arr. Tiago Costa)
Pixinguinha Um a Zero (Arr. Nailor Proveta)
Luperce Miranda Quando Me Lembro (Arr. Sivuca e Adapt. Fábio Prado)
Severino Araújo Espinha De Bacalhau (Arr. Nelson Ayres)

 

Tom Jobim Visita Clube da Esquina
Data: 4 de setembro, domingo
Horário: 19h00
Local: Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer
Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral, S/N – Portão 2 – Ibirapuera
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Duração: 90 minutos (aproximadamente)
Classificação indicativa: Livre
Capacidade: 800 lugares
Acessibilidade: Sim, inclui assentos para cadeirantes e obesos

Repertório
Milton Nascimento Suíte Milagre dos Peixes (Arr. Nelson Ayres)
Milton Nascimento / Márcio Borges Vera Cruz (Arr. Nelson Ayres)
Milton Nascimento / Ronaldo Bastos Cravo e Canela (Arr. Nelson Ayres)
Milton Nascimento Lilia (Arr. Fernando Corrêa)
Joyce / Maurício Maestro Mistérios (Arr. Felipe Senna)
Milton Nascimento / Fernando Brant Saídas e Bandeiras nº 1 (Arr. Tiago Costa)
Lô Borges / Márcio Borges Tudo Que Você Podia Ser (Arr. Ruriá Duprat)
Lô Borges / Ronaldo Bastos Nuvem Cigana (Arr. Ruriá Duprat)
Lô Borges / Márcio Borges Um Girassol da Cor do seu Cabelo (Arr. Tiago Costa)
Milton Nascimento / Lô Borges / Márcio Borges Clube da Esquina nº 2 (Arr. Fernando Corrêa)
Milton Nascimento / C. Drummond De Andrade Canção Amiga (Arr. Luca Raele)
Milton Nascimento / Fernando Brant Credo (Arr. Luca Raele)
Milton Nascimento / Ronaldo Bastos Cais (Arr. Nelson Ayres)
Milton Nascimento / Ronaldo Bastos Nada Será Como Antes (Arr. Nelson Ayres)
Milton Nascimento / Ronaldo Bastos Fé Cega, Faca Amolada (Arr. Nelson Ayres)

 

Nelson Ayres – regente convidado
Pianista, arranjador e compositor Nelson Ayres iniciou sua carreira na década de 60, dividindo o palco com Taiguara, Toquinho e Chico Buarque. Com uma bolsa de estudos, tornou-se o primeiro aluno brasileiro a cursar o Berklee College of Music. Em 1978, criou o quinteto Pau Brasil e, em 1984, estrelou o espetáculo Prisma com César Camargo Mariano. Conhecido por sua atuação como regente e diretor artístico da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, regeu inúmeras orquestras no Brasil e no exterior, incluindo a Orquestra Filarmônica de Israel. Foi ainda apresentador do programa Jazz & Cia, da TV Cultura e presidente do Júri do Prêmio Visa de Música Brasileira. Em 2004 lançou o CD Perto do Coração e, em 2011, Paixão. 

Tiago Costa – regente convidado

Pianista, compositor e arranjador vem transitando entre a música instrumental, a canção e a música orquestral. Ganhou destaque como arranjador e teve suas peças gravadas dentro e fora do Brasil com obras registradas pela OSESP e Orquestra Jazz Sinfônica. Trabalhou ao lado de inúmeros artistas de primeira grandeza da música brasileira como Maria Rita, Zizi Possi, Chico Pinheiro, Gilberto Gil, Ivan Lins e Monica Salmaso, tendo já se apresentado nos cinco continentes. Ao lado de Maria Rita participou como pianista e arranjador dos discos ganhadores do Grammy “Segundo” e “Redescobrir”. Em 2014, o show de piano e voz com a cantora foi eleito um dos dez melhores do ano pelo New York Times. Como pianista e compositor faz parte do celebrado Vento em Madeira e tem duo com o grande saxofonista Teco Cardoso

Alexandre Ribeiro – clarinete

Herdeiro de grandes nomes do clarinete brasileiro, a soma da técnica apurada com amplo conhecimento rítmico resulta em uma linguagem muito específica desse grande músico. Compartilhou sua música com grandes artistas nacionais e internacionais e em diferentes palcos por todo o mundo. Seus trabalhos de maior destaque são Alexandre Ribeiro Quarteto, projeto Panorama do Choro Paulistano Contemporâneo, Quarteto Roda de Choro, duo Alexandre Ribeiro e Alessandro Penezzi e Alexandre Ribeiro Solo.

Leila Pinheiro – canto

Estrela do primeiro time da música popular brasileira, a cantora e pianista paraense Leila Pinheiro vem interpretando o nosso cancioneiro através da obra de seus mais representativos compositores há35 anos, com 19 CDs, 3 DVDs e 1 EP lançados. Músicos da grandeza do maestro Tom Jobim, do cantor e compositor Chico Buarque, do violonista Toninho Horta, do guitarrista americano Pat Metheny e dos também pianistas e compositores Francis Hime, Ivan Lins e João Donato participaram de seus trabalhos. Dos trabalhos mais recentes, vale ressaltar o álbum “Céu e mar”(2013), gravado em duo com o guitarrista Nelson Faria originalmente para o mercado europeu; o show “Eu canto samba”, no qual reinventou e atualizou clássicos com a elegância que lhe é característica. Atualmente, Leila Pinheiro segue em turnê de seu primeiro EP “Por onde eu for“, lançado em junho de 2015.

Cássio Ferreira – saxofone

Desde os 4 anos de idade, revelava seu talento nato para a música, observando os músicos tocando no culto da igreja que frequentava e imaginando improvisos, antes mesmo de ter qualquer conhecimento musical. Aos 9 anos, começou a estudar teoria musical na igreja, aos 12 teve aulas iniciais de saxofone e aos 14 ingressou na Fundação das Artes de São Caetano do Sul, onde estudou saxofone, improvisação e prática de big band. Nesta escola, participou de festivais e cursos com músicos notáveis como: Roberto Sion, Vinícius Dorin, Nelson Ayres e Zé Eduardo Nazário. Em pouco tempo, Cássio se destacou e passou a ser convidado por grupos e big bands de São Paulo e ABC Paulista, participando de programas de TV acompanhando cantores de projeção nacional e internacional como Alcione, Beth Carvalho, Agnaldo Rayol, Zizi Possi, Elba Ramalho, Jair Rodrigues e outros.

 

Orquestra Jovem Tom Jobim
Foi criada em 2001 no Festival de Inverno de Campos do Jordão, com o objetivo de resgatar de obras tradicionais de grandes compositores brasileiros, com especial dedicação ao trabalho de Tom Jobim, à pesquisa e experimentação musical. O Grupo alia sua formação às sonoridades e à expressividade da orquestra sinfônica (cordas, madeiras e metais) com a força e o balanço da seção rítmica (piano, contrabaixo elétrico, guitarra, bateria e percussão), proporcionando-lhe uma enorme versatilidade estética e timbrística. Já se apresentou com artistas importantes da música popular e regentes convidados, como Lutero Rodrigues, Gil Jardim, Elza Soares, Rosa Passos, Mônica Salmaso, Chico Pinheiro, Quinteto em Branco e Preto, Germano Mathias, Dominguinhos, Hermeto Pascoal, Alaíde Costa, Nelson Ayres, Léa Freire, Arismar do Espírito Santo, Ricardo Herz, Nailor Proveta, Lívia Nestrovski, Arrigo Barnabé e Zimbo Trio.  

Em 2015, foi criado um Conselho Artístico integrado por Paulo Zuben e Paulo Braga, diretor e coordenador artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura, e os maestros e arranjadores Tiago Costa e Nelson Ayres. Juntos, começaram a implantar um plano de renovação. Nessa reestruturação, o principal foco da programação visa desenvolver o talento de jovens músicos que integram o grupo, com novos arranjos incorporados ao repertório, além de criar desafios e colocar em primeiro plano solistas e naipes da Orquestra. Nesse mesmo espírito, estão sendo escolhidos convidados para trabalhar junto aos bolsistas, participando de todo o processo de ensaios, compartilhando seus conhecimentos e experiência. A Orquestra Jovem Tom Jobim é formada por 42 jovens bolsistas, alunos da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim e é um dos grupos de difusão e formação musical da escola do Governo Estado de São Paulo gerida pela Santa Marcelina Cultura.