Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Orquestra Jovem do Estado recebe dois grandes músicos internacionais na Sala São Paulo

06 de junho de 2014

No dia 15 de junho (domingo), a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo faz concerto na Sala São Paulo. Sob a regência do maestro convidado George Stelluto – que atualmente é maestro residente da Juilliard School e diretor musical da Peoria Symphony Orchestra, dos Estados Unidos – e participação do violoncelista francês Marc Coppey – professor do Conservatório de Música de Paris –, o grupo formado por 90 bolsistas com idades entre 13 e 26 anos vai tocar obras dos séculos XIX e XX. O concerto acontece às 20h e os ingressos custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).

 

Será a primeira vez que a Orquestra Jovem do Estado será regida por Stelluto. Para abrir o programa Primeiro Ensaio para Orquestra, Op.12, escrita pelo norte-americano Samuel Barber e provavelmente sob encomenda do maestro italiano Arturo Toscanini, que contribuiu para a fama precoce do jovem compositor e seu reconhecimento internacional.

 

Na sequência, o grupo toca uma obra do compositor ucraniano Sergei Prokofiev, com solos do violoncelista francês Marc Coppey. Sinfonia Concertante foi escrita para o grande violoncelista russo Mstislav Rostropovitch, e teve sua estreia em 1952. Apesar do sucesso obtido, o trabalho é fruto de um momento de dor e sofrimento na vida do compositor. Alguns anos antes, em 1948, Prokofiev fora acusado de “formalismo” pelo governo stalinista, da Rússia, o que poderia significar banimento e morte. A repressão debilitou aos poucos sua saúde e Prokofiev morreu um ano depois da estreia da peça, ironicamente, no mesmo dia de Stalin.

 

Fechando o concerto, a Orquestra Jovem do Estado executa a Sinfonia nº 1, do músico alemão Johannes Brahms, reconhecido como um dos principais compositores do romantismo. A obra tem a estrutura habitual de quatro movimentos e, em muitos aspectos, sugere que retoma a quinta sinfonia de Beethoven como ponto de partida. Essas indicações vão desde a sequência de tonalidades de cada movimento até a ideia romântica de um “motivo de luta” (no primeiro movimento) até a “redenção e vitória”, expressas no último movimento.

 

Sob a regência de seu diretor musical e regente titular Cláudio Cruz, a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo segue sua temporada no segundo semestre. Em julho, participa da 45ª edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão e, no mês seguinte, viaja pelo terceiro ano consecutivo para a Europa, desta vez a convite do Festival de Berlioz, que acontece em La Côte-Saint-André, na região de Lyon, na França, e do Grachtenfestival, em Amsterdã.

 

Até dezembro, o grupo ainda recebe os pianistas japoneses Atsushi Imada e Kyoka Minami e toca sob a regência do maestro Diego Guzmán. Este ano, a Orquestra Jovem foi destaque da terceira edição do festival Música em Trancoso, realizado em março, na Bahia, e recebeu a soprano inglesa Julia Thornton, a violista norte-americana Jennifer Stumm e o pianista brasileiro Paulo Álvares, em concertos na Sala São Paulo. Para mais informações sobre a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, acesse www.emesp.org.br.

 

Programa:
Regência: maestro convidado George Stelluto (Estados Unidos)
Solista convidado: Marc Coppey (violoncelo – França)

 

Programa:

Samuel Barber
Primeiro Ensaio para Orquestra, Op.12                              

 

Sergei Prokofiev
Sinfonia Concertante para Violoncelo e Orquestra

Intervalo
 

 

Johannes Brahms
Sinfonia nº 1 

 

Serviço:
Orquestra Jovem do Estado sob a regência de George Stelluto e participação do violoncelista Marc Coppey
Data: 15 de junho, domingo
Horário: 20h
Local: Sala São Paulo
Endereço: Praça Júlios Prestes, 16, Luz, São Paulo-SP
Ingressos: R$10 (inteira) e R$5 (meia)
Duração: Aproximadamente 90 minutos
 

 

George Stelluto (regente convidado)
Aclamado pela crítica internacional, é maestro residente da Juilliard School e diretor musical da Peoria Symphony Orchestra. Esteve à frente de orquestras e grupos de câmara em todo o mundo como a Orquestra da Juilliard, Balé da Cidade de Nova Iorque, Filarmônica do Equador e NWD na Alemanha e orquestras da Ucrânia, Romênia e Nevada entre tantas outras. Já deu aulas em conservatórios como o de Pequim e participou de inúmeros festivais como regente e músico de câmara. Graduado em violino pela Universidade de West Virginia, é mestre em violino e regência pela Escola de Música de Yale. Teve aulas com maestros como Otto-Werner Mueller e Eleazar de Carvalho.

 

Marc Coppey (violoncelista)
Violoncelista francês considerado um dos principais da atualidade e vencedor de dois dos maiores prêmios na competição Bach de Leipzig. Atualmente, é professor no Conservatório de Música de Paris e ministra master classes em todo o mundo. É o diretor artístico do Festival de Música de Câmara Colmar, bem como os Solistas de Zagreb, desde fevereiro de 2011. Coppey é convidado frequentemente para tocar com as principais orquestras do mundo e tem colaborado com muitos maestros de renome internacional, como Alain Altinoglu, Emmanuel Krivine, Rafael Frühbeck de Burgos, Eliahu Inbal, Michel Plasson, Jean-Claude Casadesus, Theodor Guschlbauer, Pascal Rophé, Yutaka Sado, John Nelson, Raymond Leppard, Erich Bergel, Alan Gilbert, Lionel Bringuier, Kirill Karabits, Paul McCreesh e Asher Fisch. Já se apresentou nas principais salas de concerto da Europa, Ásia e das Américas do Sul e Norte, e participou de festivais importantes. Nasceu em Estrasburgo, na França, estudou violoncelo no conservatório de sua cidade natal, no Conservatório Nacional de Paris e na Universidade de Indiana, nos Estados Unidos. Mais informações, no site oficial www.marccoppey.com