Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Orquestra Jovem do Estado divulga temporada 2014

05 de fevereiro de 2014

Após encerrar o último ano tocando com o violoncelista Antonio Meneses na capital paulista, a Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo – grupo ligado à EMESP Tom Jobim, Escola do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura – dá continuidade ao programa de excelência na formação musical implantado há dois anos sob coordenação da equipe artístico-pedagógica da EMESP, e divulga os destaques da agenda de apresentações que vão até dezembro.

No próximo dia 23, sob regência de Cláudio Cruz, diretor musical e maestro titular da Orquestra, os 90 bolsistas com idades entre 12 e 26 anos, apresentam um conjunto de obras dos compositores Claude Debussy, Richard Strauss e Beethoven, com a soprano inglesa Julia Thornton. No mês seguinte, o grupo participa da terceira edição do Festival Música em Trancoso, que acontece de 15 a 22 de março. Na Bahia serão quatro apresentações, sendo duas delas sob a batuta do maestro espanhol Antonio Méndez, jovem regente que já trabalhou com algumas das principais orquestras do mundo e atualmente é bolsista da LA Phil, onde trabalhará como assistente do também jovem maestro venezuelano Gustavo Dudamel, diretor musical da Orquestra Filarmônica de Los Angeles. Méndez atraiu a atenção internacional após ser premiado, em 2012, no prestigiado Nikolai Malko Competition for Young Condutores, em Copenhague, na Dinamarca, e mais recentemente, foi finalista no Prêmio Jovens Condutores, do Festival de Salzburgo, realizado anualmente na cidade austríaca terra natal de Mozart.

Entre abril e junho a Orquestra Jovem do Estado tem concertos marcados para a capital e interior de São Paulo, com a participação de solistas como o pianista Paulo Álvares – brasileiro radicado na Alemanha, onde é professor da Escola de Música de Colônia –; a violista norte-americana Jennifer Stumm, que já tocou com o grupo em 2012; e o violoncelista francês Marc Coppey, com a regência do maestro convidado George Stelluto – diretor da Orquestra do pre-college da Juilliard School e professor de regência da instituição norte-americana, de Nova Iorque,  que é referência mundial no ensino de música orquestral.

Abrindo o segundo semestre, a Orquestra Jovem do Estado participa da 45ª edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão que acontece durante todo o mês de julho. Em agosto, viaja pelo terceiro ano consecutivo para a Europa e desta vez a convite do Festival de Berlioz, que acontece em La Côte-Saint-André, cidade natal do compositor Hector Berlioz, localizada na região de Lyon, na França. O grupo fará uma apresentação sob a regência do seu diretor musical e maestro titular Cláudio Cruz e cerca de 20 bolsistas da Orquestra Jovem também irão integrar a Jeune Orchestre Européen Hector Berlioz para um concerto junto com jovens de outras nacionalidades, marcando o encerramento do Festival. Para esta apresentação final, a preparação começa em fevereiro, quando a EMESP Tom Jobim (Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim) recebe três professores do Les Siècles – instituição francesa de ensino musical liderada pelo maestro François-Xavier Roth – para atividades e ensaios. A preparação será especial, já que os instrumentos utilizados no concerto são característicos do século XIX, que têm uma sonorização própria e exige uma adaptação do músico, devido à utilização de cordas de tripa para os naipes de cordas.

De setembro a dezembro a Orquestra Jovem apresenta o concerto Jovens Solistas – em que os bolsistas de destaque se apresentam como solistas – e recebe os pianistas japoneses Sae Kojima e Akihiro Sakiya, na Sala São Paulo. Em novembro executa um programa latino-americano sob a regência do maestro Rafael Payare, que é titular da Orquestra de Ulster, formada em 1966 e uma das principais do Reino Unido, e com a participação de jovens músicos da rede de ensino venezuelana El Sistema – programa que envolve escolas, orquestras e corais para a formação musical de crianças e adolescentes.

Neste período também acontece um concerto para o anúncio dos vencedores da terceira edição do Prêmio Ernani de Almeida Machado, concedido anualmente aos cinco bolsistas com melhor desempenho. Com patrocínio do escritório Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados, o prêmio principal é de R$ 60 mil, o maior concedido a uma orquestra jovem no Brasil, que deve ser utilizado em estudos no exterior. Os outros quatro são de R$ 15 mil cada, e devem ser usados na compra de instrumentos ou no aprimoramento musical. E para o encerramento da temporada, a coordenação artístico-pedagógica da EMESP Tom Jobim junto com o diretor musical e maestro titular da orquestra Cláudio Cruz, ainda preparam um concerto especial.