Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Orquestra Jovem do Estado anuncia sua temporada 2016

25 de fevereiro de 2016

Com convidados especiais, serão oito programas na Sala São Paulo de março a dezembro e um deles vai servir para a gravação do segundo CD do grupo; a estreia será sob a regência do maestro titular Cláudio Cruz e participação do tenor brasileiro Fernando Portari, dia 6 de março (domingo), às 16h, na capital

 

A Orquestra Jovem do Estado de São Paulo vem conquistando, cada vez mais, seu espaço no cenário musical erudito brasileiro. E para dar continuidade ao projeto artístico-pedagógico que foi reestruturado em 2012 com a chegada do maestro Cláudio Cruz, anuncia sua temporada 2016 que terá convidados internacionais importantes, entre eles o francês Marc Coppey como regente. Os pianistas Nelson Goerner, da Argentina, e Cristian Budu, o oboísta Washington Barella, o clarinetista Luis Afonso Montanha e o tenor Fernando Portari, todos músicos brasileiros, serão alguns dos solistas. A violinista Catherine Cho, da Juilliard School, de Nova York (EUA), também desembarca em São Paulo no segundo semestre para um programa especial. 

Tchaikovsky, Bartók, Brahms, Beethoven, Berlioz, Copland, Nielsen, Strauss e Verdi, são alguns dos grandes compositores que estão no repertório desta temporada. Durante o ano, a Orquestra Jovem também vai apesentar obras de Villa-Lobos e de mais dois compositores brasileiros, os contemporâneos Flo Menezes e Silvio Ferraz. Um dos grandes momentos do ano será o concerto de agosto, quando a Orquestra Jovem grava seu segundo disco – o primeiro foi em 2015 com o violoncelista Antonio Meneses – interpretando Concerto para piano nº1, de Tchaikovski, com solos de Cristian Budu, e Sinfonia Fantástica, de Berlioz, sob a regência de Cláudio Cruz. Para encerrar o ano, em dezembro, o grupo toca Sinfonia nº 6, de Mahler. A temporada na Sala São Paulo será com ingressos de até R$ 40 (inteira). 

Reconhecida pela excelência no trabalho de formação de novos talentos, com prestígio do público e da crítica especializada, a Orquestra Jovem do Estado é um grupo ligado à EMESP Tom Jobim – Escola do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura do Estado, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura. Formada por 90 bolsistas com idades entre 13 e 26 anos, tem como regente titular e diretor musical o maestro Cláudio Cruz. 

A Orquestra Jovem do Estado de São Paulo tem o patrocínio do Banco Itaú, Rede, do Bank Of America Merrill Lynch, da Companhia Paulista de Parcerias (CPP) do Governo do Estado de São Paulo e do escritório Machado Meyer Advogados, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura.

 

AGENDA COMPLETA:

 

Programa

Maestro

Solista

Março (dia 6, 16h, Sala São Paulo)

Verdi, Opera La Forza del Destino- Abertura

Aria- La vita `e inferno all infelice

Tchaikovsky, Opera Rainha de Espadas- Abertura

Opera Eugene Onegin-  Kuda Kuda

Puccini, Intermezzo da Opera Manon Lescaut

Aria- Nessun Dorma

Rachmaninoff, Danças Sinfônicas

 

Cláudio Cruz regente titular

Fernando Portari tenor

 

Abril (dia 2, 21h, Sala São Paulo)

Paderewski, Concerto para Piano em lá menor

Beethoven, Sinfonia nº 3

 

Marc Coppey regente convidado

Nelson Goerner piano

 

Maio (dia 8, 16h, Sala São Paulo)

Brahms, Sinfonia nº 3

Flo Menezes, Laçoentrelaço

Villa-Lobos, Choros nº 10

Participação Coral Jovem do Estado de São Paulo e Coral Juvenil do Guri 

 

Cláudio Cruz regente titular

 

Junho (dia 26, 16h, Sala São Paulo)

Nielsen, Concerto para Clarinete

Silvio Ferraz, Itinerários do Curvelo

Bartók, O Mandarim Maravilhoso

 

Cláudio Cruz regente titular

Luis Afonso Montanha clarinete

 

Agosto (dia 21, 16h, Sala São Paulo)

*gravação do segundo CD

Tchaikovsky, Concerto para Piano nº 1

Berlioz, Sinfonia Fantástica

 

 

Cláudio Cruz regente titular

Cristian Budu piano

Setembro (dia 24, 21h, Sala São Paulo)

Copland, Appalachian Springs

Max Bruch, Concerto para Violino nº 1, op. 26 em sol menor


Juilliard School (EUA)

Catherine Cho violino

Novembro (dia 6, 16h, Sala São Paulo)

Strauss, Concerto para Oboé

Brahms, Variações sobre um tema de Haydn

Strauss, Don Juan

Cláudio Cruz regente titular

Washington Barella oboé

 

Dezembro (dia 4, 16h, Sala São Paulo)

Mahler, Sinfonia nº 6

 

Cláudio Cruz regente titular

 

Cláudio Cruz (regente titular e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado)

Iniciou-se na música com seu pai, João Cruz, posteriormente recebeu orientações de Erich Lehninger, Maria Vischnia e George Olivier Toni. Foi premiado pela APCA, Prêmio Carlos Gomes, Prêmio Bravo e Grammy Awards. Tem atuado como regente convidado na Orquestra Sinfônica Brasileira, Sinfônica Municipal de São Paulo, Sinfônica de Porto Alegre, Sinfônica de Brasília, Osesp, Orquestra de Câmara de Osaka, Orquestra de Câmara de Toulouse, Orquestra Sinfônica de Avignon, entre outras. Foi regente da Orquestra do Festival Internacional de Campos do Jordão em 2010 e 2011. Participou dos festivais da Carinthia (Áustria) e de Cartagena, onde atuou como camerista e regente convidado da Osesp. Foi diretor musical da Orquestra de Câmara Villa-lobos, regente titular das Sinfônicas de Ribeirão Preto e de Campinas e por vinte anos foi o spalla da Osesp. Atualmente, é o regente titular e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado onde está há dois anos.

 

Orquestra Jovem do Estado de São Paulo

Fundada em 1979, a Orquestra Jovem do Estado tem como principal objetivo contribuir para o aprimoramento técnico e artístico dos estudantes de música que a integram, ajudando-os a se preparar para a vida profissional. Teve como regentes titulares o maestro John Neschling, Diogo Pacheco, Bernardo Fedorowsky, Juan Serrano e João Maurício Galindo. Em 2012, integrada ao inovador projeto pedagógico da EMESP Tom Jobim, a Orquestra passou por uma total reformulação para transformá-la num projeto de excelência em formação de jovens músicos, estimulando-os a aprofundar e intensificar seus estudos e evitando a profissionalização precoce. Cláudio Cruz passa a ser o diretor musical e regente titular. Pelo novo projeto, as atividades dos 90 bolsistas incluem aulas e master classes com renomados professores e uma intensa agenda de ensaios e concertos. De 2012 pra cá realizou quatro turnês internacionais, sendo que por dois anos consecutivos esteve na Alemanha e participou dos festivais MDR Musiksommer, na região da Saxônia, e do Young Euro Classic, em Berlim, onde tocou na histórica sala Konzerthaus. Em 2014 esteve em Amsterdã, na Holanda, e se apresentou na moderna sala Muziekgebouw e na França, encantou o público do Festival Berlioz, realizado em La Côte Saint-André, cidade terra natal do compositor Hector Berlioz. No mesmo ano, a Orquestra Jovem do Estado ganhou o Prêmio CONCERTO na categoria Jovem Talento, uma iniciativa da Revista CONCERTO – principal publicação especializada em música clássica no país. Em março de 2015, sob a batuta de Cláudio Cruz, a Orquestra Jovem esteve nos Estados Unidos para duas apresentações. Em Washington, tocou no Kennedy Center, e em Nova York, foi recebida pela Juilliard School – escola nova-iorquina que está entre os três principais conservatórios de música do mundo – e se apresentou na prestigiada Alice Tully Hall. Os concertos foram um sucesso de público e da crítica especializada. A performance no Lincoln Center, inclusive, foi destaque no jornal The New York Times.

 

Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim

Com mais de 20 anos de atuação, a Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP Tom Jobim) tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim tem em sua estrutura pedagógica a Orquestra Jovem do Estado, Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim, que oferecem bolsas para alunos da Escola em fase de pré-profissionalização. Outros cursos avançados como o Ópera Estúdio e o Núcleo de Música Antiga são referência nacional. Em 2010, a Escola estreou seu grupo residente de professores, a Camerata Aberta, dedicada ao repertório contemporâneo e ao ensino de técnicas instrumentais avançadas. O Grupo ganhou o prêmio APCA 2010 de música contemporânea pelo pioneirismo e excelência do trabalho realizado ao longo do ano. Em 2012, lançou seu primeiro CD, Espelho d’Água, pelo Selo SESC, que venceu o Prêmio Bravo! na categoria Melhor CD de Música Erudita. A EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo de São Paulo gerida em parceria com a Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Estado da Cultura.