Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Irmã Rosane Ghedin acompanha master classes da Juilliard School em Itaquera

21 de junho de 2012

Diretora-presidente da Santa Marcelina Cultura destacou a importância da parceria na formação de pessoas e no aprendizado de técnicas musicais

A diretora-presidente da Santa Marcelina Cultura, irmã Rosane Ghedin, esteve presente nesta terça-feira (19) na série de master classes ministradas pelo Quinteto de Cordas da Juilliard School (veja matéria aqui), escola de referência internacional na formação de profissionais de instrumentos de cordas.

As aulas ocorreram em cinco salas do recém reformado polo do CCA Itaquera (veja matéria aqui), que fica dentro do complexo que abriga o Hospital Santa Marcelina, na zona leste de São Paulo. Participaram das atividades alunos dos polos do CCA Itaquera, Vila Curuçá, Parque Veredas e Inácio Monteiro.

A irmã Rosane Ghedin, que recentemente esteve em Nova Iorque para conhecer o famoso campus da Juilliard School, ressaltou a importância da parceria para ambos os lados.

“Essa parceria foi sonhada por nós e é um aprendizado importante para as duas partes. De um lado, nós aprendemos a técnica, de outro lado eles levam nossa cultura, humanidade, jeito de fazer assistência social e nossa forma de ensinar música neste contexto. A Santa Marcelina Cultura nasceu para ser uma formadora de pessoas”, diz.

O grupo norte-americano, orientado pela professora Claire Bryant (violoncelo), é formado pelos alunos de mestrado e bolsistas Emma Sutton e Doori Na (violino), Jessica Garand (viola) e Andrew Roitste (contrabaixo).

Para o aluno Luis Felipe dos Santos Maria, de 17 anos, que estuda contrabaixo há quatro anos no Guri, o evento foi uma oportunidade única de ver um grupo tão importante no Brasil. “Eles têm uma qualidade incrível. A aula foi bem construtiva, recebi várias dicas que vou levar para a vida toda”.

A orientadora Claire Bryant agradeceu aos aplausos calorosos do público e a recepção dos alunos. “Fiquei impressionada com o talento dos alunos. Espero que eles tenham tirado boas coisas desta visita.”
Já o contrabaixista do quinteto, Andrew Roitste, disse ao público que, além de poder mostrar para os alunos do Guri uma proposta técnica, o mais importante para o grupo foi o envolvimento com os alunos. “Adoramos as pessoas daqui e estar aqui hoje neste dia foi incrível”.