Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Fortalecer famílias e comunidades

16 de dezembro de 2011

No Guri a inclusão social está presente no dia a dia. Paralelamente à formação musical, o aluno e seus familiares participam de diversas atividades socioeducativas, visitando espaços culturais da cidade, nos intercâmbios entre polos e em  ações  focadas na família.

Em 2011 o Programa Guri realizou 490 atividades socioeducativas com os alunos e seus familiares. Se considerarmos apenas os dias letivos, foram quase três atividades por dia. Um número que demonstra a importância que as ações socioeducativas têm no dia a dia da formação musical. Somente com os alunos foram 257 atividades que envolveram 3.174 crianças e adolescentes de todos os polos. Ações como rodas de conversa trataram de temas como o Estatuto da Criança e o Adolescente (ECA), família, violência, racismo, sexualidade entre tantos outros assuntos que contribuem para a formação integral do aluno.

Também aconteceram sessões de cinema, oficinas de teatro, leitura, poesia, meio ambiente, saraus, festas e gincanas. Exemplo desse tipo de ação voltada para os alunos do Guri foi o evento de comemoração do Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes, realizado no PEFI Imigrantes. O Guri, em parceria com a coordenação do espaço, organizou um dia inteiro de atividades que abordavam o tema, destacando-se a exibição do curta Maria não vai com as outras, produzido pela Organização AME e um bate-papo com representante da ONG Educafro sobre o tema Os desafios na área de educação para população afrodescendentes, além de exposições e apresentações de dança e capoeira.

Considerando as ações somente com a família, foram 233 atividades envolvendo 3.387 pessoas em reuniões, rodas de conversa, integração entre pais e filhos, festas, oficinas, etc. Um exemplo de trabalho envolvendo pais e alunos foi o evento Brincar e cantar é só começar!, realizada pelo polo CEU São Rafael, na Semana da Criança, quando os alunos das turmas de iniciação musical e seus familiares participaram de uma aula conjunta com as professoras Franciele Paixão e Andreia Mischiatti. O grupo participou de uma sessão de relaxamento com a assistente social Cyntia Soares e na sequência ensaiaram e cantaram uma canção preparada pela  professora Andreia. Na ocasião, Maria Edna, mãe de Ruthênio, 9 anos, gostou da atividade pois segundo ela, o filho quer muito cantar. Para Franciele, quando os pais se envolvem “as crianças se desenvolvem mais”. 

Segundo Giuliana Frozoni, gestora do Programa essa foi a filosofia de todas as atividades que o programa realizou com as famílias dos alunos. “Desde a reunião mais simples até viagens fora de São Paulo, o envolvimento dos pais é uma forma de fortalecer o vínculo entre a família o aluno e o programa”, explica. Além das atividades organizadas em cada polo, o Guri também realizou momentos que integraram vários polos em uma mesma atividade, como na série de concertos didáticos Horizontes Musicais que, em 45 encontros, reuniu 5.580 alunos (veja matéria aqui).