Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Estudo revela grande retorno social do investimento feito no Guri e na Emesp Tom Jobim

27 de agosto de 2019

Um estudo realizado pelo Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis) revelou um grande retorno social dos recursos investidos no financiamento do Guri e da Escola de Música do Estado de São Paulo, Emesp Tom Jobim – ambos programas de educação musical da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado sob a gestão da Santa Marcelina Cultura. Usando a metodologia da Avaliação de Retorno Social do Investimento (SROI, na sigla em inglês), a análise conseguiu transformar em números o impacto positivo que o Guri e a Emesp Tom Jobim têm na sociedade. Para cada R$ 1 investido na Emesp Tom Jobim, existe um retorno de R$ 3,27 em benefícios para a sociedade. No caso do Guri, por atender a um público maior e por mais tempo, o retorno é ainda maior: cada R$ 1 investido no Guri gera um retorno equivalente a R$ 6,53 para a sociedade.

Em parceria com a Santa Marcelina Cultura, organização social que administra o Guri e a Emesp Tom Jobim, o Idis desenvolveu uma teoria da mudança para cada programa, que sintetiza os objetivos propostos e as mudanças alcançadas. No Guri, a teoria da mudança passa por uma educação musical de qualidade, o exercício do protagonismo infanto-juvenil e o desenvolvimento de habilidades emocionais e comportamentais foram os eixos de mudança investigados pelo Idis no caso dos alunos e alunas, por meio de pesquisas e entrevistas. O processo foi realizado também com familiares responsáveis – analisando a ampliação do repertório cultural e artístico, e o fortalecimento das relações sociais e familiares – e com professores – com foco no desenvolvimento sociopedagógico e na ampliação da consciência social e da visão crítica.

Já no caso da Emesp Tom Jobim, a teoria da mudança engloba oferecer formação musical de qualidade para crianças, adolescentes e jovens, contribuindo para seu desenvolvimento artístico e profissional, além de proporcionar vivências musicais à comunidade em geral. Além dos alunos e alunas, foram levados em conta também as famílias, os professores e o público que assiste aos concertos. No caso das famílias, assim como no Guri, a mudança se realiza na ampliação do repertório cultural e artístico, e no fortalecimento das relações sociais e familiares. Nos professores, a mudança é o desenvolvimento profissional. E, no público, uma aproximação do universo da música e da arte, além de uma oportunidade de exercitar a emoção e a sensibilidade.

Confira os relatórios na íntegra aqui:

? Emesp Tom Jobim 

? Guri