Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Bolsista de Campos do Jordão 2011 é aprovado na Royal Academy de Londres

17 de janeiro de 2012

O violonista Marcus Vinicius Toscano, três vezes bolsista do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão e ex-aluno dos professores da EMESP Tom Jobim Everton Gloeden e Marcus Siqueira, foi aprovado para estudar mestrado na Royal Academy of Music, em Londres, Inglaterra. Uma das mais prestigiadas e concorridas escolas de música do mundo, a Royal é especialmente reconhecida por seu curso de violão erudito, que tem coordenação do professor Michael Lewin – músico residente em Campos do Jordão 2011 – e consultoria de Julian Bream, além dos professores visitantes John Williams, Manuel Barrueco, David Russell e Fábio Zanon.

Marcus recebeu no dia 3 de janeiro a notícia de que havia sido aprovado, por meio de uma carta. “Fiquei muito feliz. Não estava certo de que ia passar, havia apenas duas vagas disponíveis e a avaliação é muito exigente”, conta. O jovem violonista de 26 anos viajou em dezembro de 2011 para Londres apenas para prestar a Academia Real e contou com ajuda de amigos e familiares, principalmente das avós, para pagar a passagem de avião.

Agora, Marcus se prepara para encarar um novo desafio: obter os recursos necessários para financiar sua estadia em Londres. Ele conta a seguir como tem buscado realizar esse grande objetivo.
 

O sonho da Royal Academy
Toscano conta que desde o ano passado já considerava estudar no exterior, sendo a Royal sua primeira opção. “Apesar de o Brasil ter tradição no ensino do violão e excelentes professores, quero passar pela experiência de morar fora, conviver com pessoas de outras nacionalidades e focar meu estudo na prática de música de câmara, que é levada muito a sério na Royal”, explica.

Após ter tido aulas com Michael Lewin no Festival de Campos do Jordão de 2011, Marcus teve certeza de que queria ir para Londres. “O professor Lewin superou todas as minhas expectativas deste Festival 2011. É a pessoa mais dedicada que já conheci. Ele não tem preconceitos, procurou conhecer cada um dos alunos e orientá-los em repertórios distintos. Além disso, sempre nos recebia fora da sala de aula para conversarmos. Toda a experiência do Festival foi muito rica e todos os bolsistas adoraram o Lewin”, lembra.
 

Dedicação e desafios
Para conseguir se preparar para a prova de admissão do conservatório, Marcus intensificou sua rotina diária de estudos do instrumento. Desde 2010 está sob orientação do professor Fábio Zanon, uma grande inspiração para Marcus. Zanon é o único violonista brasileiro que possui diploma do curso de violão da Royal, em toda a história da Escola.

Entretanto, Marcus afirma que a aprovação não foi apenas resultado desta dedicação recente. “Toda a minha trajetória no violão me trouxe o que sei hoje. Comecei a estudar com Pedro Cameron em Sorocaba, depois com Edson Lopes e Geraldo Ribeiro em Tatuí, então vim para São Paulo para ter aulas com Henrique Pinto, que foi meu professor até o seu falecimento, em outubro de 2010. Depois disso, tive aulas com Everton Gloeden, Marcus Siqueira (ambos professores da EMESP) e Celso Delneri (que me orientou na conclusão do curso de graduação na Unicsul).  Aprendi muito com cada um deles, todos foram essenciais para o meu conhecimento sobre o violão hoje.”
Além disso, Marcus não perde oportunidades: participa de todas as master classes, festivais, workshops e concursos de que fica sabendo. Ele acredita que todas essas atividades são oportunidades de aprendizado.

Com a carta de aprovação em mãos, o violonista agora divide seu tempo entre estudar e conseguir recursos para matrícula e mensalidades da Royal Academy. “Estou à procura de uma bolsa de estudos ou de um patrocínio, pois não tenho condições de arcar com o custo, e preciso pagar um quarto do valor total do curso até maio”, lamenta.

“Estou disposto a fazer parcerias, dar master classes, palestras, workshops, concertos, enfim, quero colaborar com possíveis patrocinadores. Estou otimista. O mais difícil, ser aprovado no teste, eu já consegui”, comemora Marcus, esperançoso de que vai encontrar meios para realizar seu sonho.