Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Bolsista da Orquestra Jovem do Estado é aprovado em universidade da Filadélfia

28 de julho de 2017| .

Contrabaixista passou por todas as etapas do ciclo de formação da Santa Marcelina Cultura e agora se prepara para fazer mestrado em música nos Estados Unidos

A trajetória musical do jovem Davi Ciriaco Moreira representa a missão concretizada da Santa Marcelina Cultura em “desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade”.

Para o jovem músico, a possibilidade de convívio com pessoas de diversos lugares no Guri Santa Marcelina, na EMESP Tom Jobim e na Orquestra Jovem do Estado foi fundamental tanto para o seu amadurecimento como instrumentista quanto para a sua formação como cidadão. O contrabaixista enxerga a educação musical como meio de democratização da cultura, e revela que foi isso que o inspirou a encontrar motivação na profissão.

Davi despertou para a música aos 11 anos por influência de sua mãe que toca violão e lhe ensinou os primeiros acordes. O jovem continuou os estudos informalmente na igreja até ingressar no programa Guri aos 16 anos. No polo São Rafael, estudou contrabaixo com os professores Paulo Brucoli e Leopoldo Carvalho, mas faz questão de ressaltar a importância de outros profissionais em seu aprendizado, como professores de outras disciplinas, monitores de apoio e assistentes sociais. “Sou grato a todos que, de alguma forma, contribuíram para a minha formação, pois acredito que um bom músico tem de ir muito além de apenas saber tocar bem um instrumento”, afirma.

Na época de Guri, Davi também fez parte da Orquestra de Cordas e da Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil e, mais tarde, já como ex-aluno do programa, foi convidado para solar com a Orquestra Sinfônica em três diferentes ocasiões e sob a regência de Lutero Rodrigues, nos polos dos CEUs, de Ricardo Appezzato e de George Stelluto, da Juilliard School.

Davi ingressou na EMESP Tom Jobim em 2012 e, de lá para cá, estudou teoria musical e percepção com a professora Renata Montanari, e história da música com a professora Camila Bonfim. O jovem também frequentou as disciplinas de análise musical com a professora Valéria Bonafé, improvisação com o professor Josué Batista dos Santos, e teve aulas de piano complementar com a professora Liz de Carvalho. Em 2014, ingressou no 4º Ciclo de Formação da Escola e tem estudado com o professor Paulo Gadelha desde então.

Bolsista da Orquestra Jovem do Estado desde 2012, o jovem conta ter memórias inesquecíveis dessa experiência e dos grandes amigos com quem dividiu estante. Segundo ele, todos os ensaios, concertos, repertórios e viagens foram essenciais para a sua formação. “Aprendi muito com cada colega em cada ensaio e apresentação”, revela o musicista que em 2016 foi um dos vencedores do concurso Jovens Solistas.

Bacharel em música com habilitação em contrabaixo pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Davi estudou com a professora Valerie Ann Albright e conta que se identificou com o mundo acadêmico. Desde então, deseja construir sua carreira artística como professor dentro e fora da academia e, ao mesmo tempo, como músico e performer ativo em concertos e apresentações para o máximo de diversidade de público possível.

Carreira internacional

Graças aos intercâmbios e turnês que participou com o Guri e a Orquestra Jovem do Estado nos Estados Unidos e Europa, Davi adquiriu vivência internacional e a percepção de como a música é vista fora do Brasil. O aprendizado intercultural absorvido pelo jovem durante o seu processo de formação foi decisivo para a sua carreira.

De julho a agosto de 2017, Davi esteve em turnê com a Youth Orchestra of the Americas (YOA) e se apresentou nas principais salas de espetáculo do Chile, Argentina e Brasil. O jovem dividiu palco com músicos renomados, como o regente mexicano Carlos Miguel Prieto, o cellista francês Gautier Capuçon, o contrabaixista da Royal Concertgebow Orchestra, Dominic Seldis, o pianista brasileiro Ricardo Castro, a mezzo-soprano brasileira Natália Serrano, e muitos outros artistas da América e Europa.

Agora, após encerrar a turnê, Davi está de mudança para Filadélfia, nos Estados Unidos, onde vai cursar dois anos de mestrado em música na Temple University com o professor Joseph Conyers – membro da The Philadelphia Orchestra.

Além de apoio do Instituto Elga Marte – que o acompanha desde 2015 e têm sido uma plataforma de grande importância para o seu amadurecimento como músico já na fase da graduação e pós-graduação –, Davi recebeu uma bolsa de 75% na universidade norte-americana e realizará trabalho remunerado na própria instituição. O jovem vai integrar a orquestra da Temple University e dar aulas para a comunidade.

Davi agradece todo o apoio profissional e social que recebeu do Guri Santa Marcelina e da EMESP Tom Jobim nos últimos nove anos. “Tenho profunda gratidão por ter feito parte de uma instituição que, por meio da música, abriu meus horizontes como artista, profissional e, principalmente, como cidadão”, afirma.

Outras notícias