Santa Marcelina Cultura

MENU

NOTÍCIAS

Aluno da EMESP é aprovado na Universidade de Colônia (Alemanha)

24 de outubro de 2013

Arturo Uribe Portugal, 26 anos, aluno do 4º Ciclo de prática instrumental avançada, do professor Paulo Zorzetto, foi aprovado para cursar o mestrado na Universidade de Música e Dança de Colônia, na Alemanha (Hochschule für Musik und Tanz Köln).

Natural da cidade de Arequipa, no Peru, concorreu a uma vaga com 16 candidatos de diversos países e passou a ter aulas com o percussionista brasileiro Carlos Tarcha. Arturo teve que se inscrever com mais de oito meses de antecedência para a prova. Depois de algum tempo, o interessado recebe uma carta falando que foi pré-selecionado para fazer o exame.

A banca foi formada por professores dos três pólos da Universidade. Arturo conta que teve que se apresentar em alemão e, além disso, entregou uma lista com 18 peças, que são escolhidas aleatoriamente pela banca. “Antes de começar a prova estava muito preocupado, comecei a pensar na possibilidade de dar errado. Tinha gente da Alemanha, Coreia do Sul, China, Chile e Brasil”. O resultado saiu no dia seguinte: “Você fica sabendo pessoalmente se passou ou não”, lembra.

Música como carreira

Arturo estudou canto coral, trompete e bateria. Quando estava no 2º ano do colégio, parou de estudar música e começou a se preparar para o vestibular. Antes de tomar a decisão de seguir a carreira de músico, quase entrou para o curso de Engenharia Mecânica. No 3º ano, prestou vestibular em Arequipa e foi aprovado. “Meu avô sempre trabalhou com maquinaria e como passei a infância toda com ele, achei que era isso que devia fazer”.

No mesmo ano, recebeu o convite para integrar a Orquestra Sinfônica Jovem de Arequipa e passou a sentir gosto pela música.  Ao notar que não seria feliz, resolveu ser franco com a mãe. “Ela apoiou, mas disse que devia me dedicar ao máximo, independente de qual fosse minha escolha”.

Em busca do sonho

Em 2007, o percussionista seguiu até Lima (Peru) para fazer a prova do Conservatório Nacional, o que não deu certo. “Isso me deixou muito mal, mas me deu mais vontade de estudar e melhorar. Hoje acredito que tudo acontece na hora certa”.

Nesse mesmo ano, conheceu uma pessoa que estudava no Conservatório de Tatuí, em São Paulo, e decidiu viajar para conhecer o local. “Na época passagem de avião era muito cara, então a única opção era viajar cinco dias de ônibus e mais 24h dentro de um trem (Santa Cruz- Corumbá) que passava dentro da selva”. Arturo passou a estudar no Conservatório e participou de todos os grupos artísticos do local.

Tempos depois, conheceu o grupo de percussão da UNESP e decidiu prestar vestibular. “Tive que estudar história do Brasil e todas as outras matérias por conta própria”. Ele se formou no curso de música com habilitação em instrumento – percussão – pela UNESP no final de 2012.

No final de 2011, Arturo decidiu fazer o processo seletivo para entrar na EMESP Tom Jobim e conciliar com o último ano de faculdade. Em 2012 e 2013 teve aulas com o professor Paulo Zorzetto. “Ele foi fundamental para me preparar para a prova de Colônia. Além de professor, ganhei um amigo, pois ele me ajudou muito nos momentos difíceis”, conta.

Arturo começou a estudar neste mês de outubro e conta que já está se adaptando aos costumes e ao local.“Estou feliz porque o ambiente aqui é muito bom, tanto pessoal como profissional. Tenho visto muitas coisas novas e tenho muito a aprender.”

Por Aline Schons