Santa Marcelina Cultura

MENU

Orquestra Jovem recebe Antonio Meneses

No concerto que encerra sua temporada 2018, a Orquestra Jovem do Estado recebe um dos maiores instrumentistas brasileiros na atualidade, o violoncelista pernambucano Antonio Meneses. Sob regência de Cláudio Cruz, é interpretado um programa que conta com a Sinfonia nº 41, Júpiter, de Mozart, e o poema sinfônico para violoncelo solo Dom Quixote, de Richard Strauss.

Orquestra Jovem do Estado

Referência tanto por seu bem-sucedido plano pedagógico quanto por sua cuidadosa curadoria artística, a Orquestra Jovem do Estado é sinônimo de excelência musical no Brasil. Desde sua reformulação, em 2012, a Orquestra passou a ter uma exigente programação artística aliada a um novo plano pedagógico elaborado pela Santa Marcelina Cultura, o que ocasionou um expressivo salto de qualidade do grupo. A Santa Marcelina Cultura convidou Claudio Cruz em 2012 para assumir a direção musical e a regência principal da Orquestra, que hoje apresenta uma marcante identidade sonora, com uma forte coesão interna que permite a construção de repertórios cada vez mais desafiadores técnica e estilisticamente. Esse resultado é fruto também da abrangência das atividades pedagógicas propostas, que formam e inspiram os jovens instrumentistas. Ciente da importância da vivência internacional para a formação dos jovens músicos, a Orquestra realiza regularmente turnês no exterior. Com atuações elogiadas pelo público e crítica internacional, o grupo já se apresentou em importantes salas de concerto, como o Lincoln Center, em Nova York, o Kennedy Center, em Washington e a Konzerthaus, em Berlim – além de ter participado como orquestra residente do Festival Berlioz, na cidade natal do compositor francês, La Côte-Saint-André, interpretando a “Sinfonia Fantástica”.

Repertório

WOLFGANG AMADEUS MOZART
Sinfonia nº 41, Júpiter

RICHARD STRAUSS
Dom Quixote
Editor Original: Peters
Representante exclusivo: BARRY EDITORIAL (www.barryeditorial.com.ar)

Sobre o(a) regente

Cláudio Cruz, regência

Iniciou-se na música com seu pai, o luthier João Cruz, posteriormente recebeu orientações de Erich Lenninger, Maria Vischnia e Olivier Toni. Foi premiado pela APCA e recebeu os prêmios Carlos Gomes, Bravo, Grammy, entre outros. Foi regente titular das sinfônicas de Ribeirão Preto e de Campinas. Atuou como diretor artístico e regente nas montagens das óperas Lo Schiavo e Don Giovanni, em Campinas; e Rigoletto e La Boheme, em Ribeirão Preto. Participa de festivais internacionais nos EUA e no Brasil. Atua como regente convidado em diversas orquestras no Brasil, América do Sul, Europa e Japão. Atualmente, é  regente e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo e primeiro violino do Quarteto de Cordas Carlos Gomes.

Sobre o(a) solista

Antonio de Meneses, violoncelo

Antonio Meneses nasceu em 1957 em Recife, no seio de uma família de músicos (seu pai era 1º Trompa da Ópera do Rio de Janeiro). Começou a estudar violoncelo aos dez anos de idade, e aos 16 anos conheceu o famoso violoncelista italiano Antonio Janigro que o convidou a frequentar sua classe em Düsseldorf e mais tarde em Stuttgart. Em 1977, ganhou o 1º Prémio no Concurso Internacional ARD de Munique e em 1982 o 1º Prêmio e Medalha de Ouro no Concurso Tchaikovsky de Moscou.

Apresenta-se regularmente com as mais importantes orquestras do mundo: a Filarmônica de Berlim, a Sinfônica de Londres, a Sinfônica da BBC, a do Concertgebouw de Amesterdã, a Sinfônica de Viena, a Filarmônica Checa, a Filarmônica de Moscou, a Filarmônica de São Petersburgo, a Filarmônica de Israel, a Orchestre de la Suisse Romande, a da Rádio da Baviera, a Filarmônica de Nova Iorque, a National Symphony Orchestra (Washington D.C.) e a Sinfônica NHK de Tóquio, entre outras. Entre os distintos maestros com quem colaborou, contam-se Herbert von Karajan, Riccardo Muti, Mariss Jansons, Claudio Abbado, André Previn, Andrew Davis, Semion Bychkov, Herbert Blomstedt, Gerd Albrecht, Yuri Temirkanov, Kurt Sanderling, Neeme Järvi, Mstislav Rostropovich, Vladimir Spivakov e Riccardo Chailly.

Meneses é também um convidado regular de importantes festivais de música, incluindo Festival Pablo Casals (Porto Rico), Salzburgo, Lucerna, Viena, Berlim, Praga (Festival de Primavera), Mostly Mozart (NYC), la Grange de Meslay (festival de Sviatoslav Richter na França) e Colmar (festival de Vladimir Spivakov na França). Apresenta-se regularmente em recitais de música de câmara, tendo colaborado com os quartetos Emerson, Vermeer, Amati e Carmina. Além disse foi membro do Beaux-Arts Trio de 1998 a 2008.

Realizou duas gravações para a Deutsche Grammophon com Herbert von Karajan e a Orquestra Filarmônica de Berlim – Concerto Duplo para Violino e Violoncelo de Brahms, com Anne-Sophie Mutter; e Don Quixote de Richard Strauss. Gravou também o Concerto para Violoncelo de Eugene D’Albert e obras de David Popper, com a Orquestra Sinfônica da Basileia; os três Concertos para Violoncelo de Carl Philip Emanuel Bach, com a Orquestra de Câmara de Munique (Pan Classics); as seis Suites para Violoncelo Solo de J. S. Bach (Nippon Phonogram); o Trio com Piano de Tchaikovsky (EMI-Angel); os Concertos e a Fantasia para Violoncelo e Orquestra de Heitor Villa-Lobos (Auvidis-França); a obra completa para violoncelo e piano do mesmo compositor, com Cristina Ortiz, Cellisimo (Pan Classics) com Gérard Wyss; Seis Suites para Violoncelo de J.S.Bach (AVIE), obras de Schumann e Schubert com Gérard Wyss ao piano (AVIE), obras de Schuman com Maria João Pires e um CD comemorativo aos seus 60 anos em 2017 com o pianista brasileiro André Mehmari.

Além de cumprir sua agenda de concertos, ministra cursos de aperfeiçoamento na Europa, Américas e Japão, sendo também professor titular de violoncelo na Hochschule der Künste de Berna, Suíça desde 2007 e ministra master-classes mensais na Academia Stauffer de Cremona, Itália.

Antonio Meneses toca usualmente um violoncelo de Matteo Goffriller, construído ca. 1710 em Veneza e em ocasiões especiais toca um violoncelo feito por Filippo Fasser e também violoncelo barroco de 4 ou 5 cordas construído por Fabrice Girardin.

 

Ficha Técnica

Cláudio Cruz, regência
Antonio Meneses, violoncelo

1º Violino

Diego Adinolfi Vieira

Marina Vilaça Pinho Caputo

Felipe Bueno Rodrigues Baldo

Jonatas Ariel dos Santos

Jonathas Barbosa Fernandes

Gabriel Silva Canute

Arthur Lopes da Silva Brito

Vinicius de Lucas Abad

Lucas Henrique Bernardo Gonçalves

Guilherme Calebe Soares Martins

Guilherme Peres Silva Oliveira

Vinicius Libório Santos

Paulo Rafael Rinco Lino

Davi Souza da Costa

Daniel Ribeiro Rodrigues

Everton Novaes*

2º Violino

Lucas Henrique Alvares Andrade

David Saturnino França

Gabriel Almeida Oliveira

Guilherme Macedo Matos

Verônica Lopes de Silva Batista Joaquim

Patrícia de Nazaré Araújo Teixeira

Alvaro Córdova Luna

Elvio Phellipe Pereira Iscuissati

Pedro Augusto Santos Barros

Matheus Calório de Magalhães

Wellington Henrique Salustiano Bernardo

Cauê Régio da Silva

Camila Zanetti

Gustavo Peres Silva Oliveira

Viola

Guilherme Aparecido Santana

Guilherme Marques Caldas

Brenner Rozales de Araujo Rodrigues

Renan Carlos de Souza Silva

Florence da Silva Suana

Leticia Camargo de Lima

Victória Liz Ribas Macedo

Weslen Henrique da Silva Vasconcelos

Christian Gabriel dos Santos

Isabella Carvalho Marques

Davidson de Brito Nascimento

Washington Neres Couto

Violoncelo

Alan Roberto Sanchez Choque

Áurea Diovana Carlos dos Santos

Bianca Souza

Juan Rogers Soares Rodrigues

Matheus Silva de Jesus

Rafael Alves Batista

Giuliano Dal Medico

Gabriel Rodrigues Silva

Bruno William dos Santos

Tayná Sabrina Santos da Silva

Contrabaixo

Saulo Roberto da Silva Martins

Tony Marciel Magalhães

Caique Andre Carrial da Silva

Marcelo Henrique Nunes Rodrigues

Fernanda Pavanelli Garcia

Isac Vinícius de Oliveira Lima

Antonio Carlos Domiciano Júnior

Gustavo Quintino*

Flauta

Jean Arthur Medeiros da Silva

Lucas Andrade Lacerda Diniz

Luciana Campanha Pozatto (piccolo)

Oboé

Dereckson das Graças Feliciano Gomes

Pedro Henrique Bayer*

Kaio Cesar da Silva Santos (corne-inglês)

Clarinete

Bruno Da Silva Ghirardi

Thiago Sandoval de Souza

Rafael Claudio da Silva Souza

Fagote

Leonardo Mantovani Albergoni

Isaac Franklim de Lima

Marcos Weslley da Silva Moura (contrafagote)

Matheus Barroso*

Trompa

Moisés Henrique da Silva Alves

Matheus da Silva Barciela Costa

Guilherme Merique Soares

Jeasil da Silva Santos

Jessica Maria Vicente*

Thiago da Silva Barciela Costa*

Isaque Elias Lopes*

Trompete

Lucas de Oliveira Espíndola

Erick Venditte Dos Santos

Kalebe Requena

Trombone 

Lucas Cavalcante Nascimento

Gabriel Trettel da Costa dos Santos

Trombone Baixo

Luis Victor de Oliveira

Eufônio

Nicolas Hebert Pontes Franco*

Tuba

Fabio Martins Borges

Percussão

Fernando da Mata e Silva Junior

Rafael Dalchau de Oliveira

Gustavo Surian Ferreira

Harpa

Alice Emery Pereira Franco Feliciano

*Músicos convidados 

Data: 09/12/2018

Horário: 16:00

Local: Sala São Paulo

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16 – Campos Elíseos, São Paulo – SP, 01218-020
Telefone: (11) 3367-9500

Entrada: Paga

Ingressos: R$30 (inteira) | R$15 (meia)

Compre o ingresso online

Parceiros

Patrocínio Diamante

 

 

Patrocínio Prata

 

 

Patrocínio Bronze

 

 

Realização